quarta-feira, outubro 17, 2007

Canto -ME da décima segunda casa

Me dê o prazer da tua roupa tirada por mim
Me encha de amor no pescoço para que eu saia da margem da tua pele
Me mergulha com a boca cheia entre os teus vãos
Me dê a honra das delícias do teu corpo
Me embriaga com teu gosto
Me esfregue em ti ate que eu derreta entre as tuas pernas
Me beije louca e loucamente me cale e nunca sacie essa vontade de ti






Este poema foi publicado no antigo endereço piasuja.zip.net que fora excluído.








4 comentários:

Anônimo disse...

Alexandre

Intensidade é a sua marca??????

05/11/2007 16:31

Anônimo disse...

Valdir

Teu poema já está na Mira. beijo te minha deusa

18/10/2007 22:31

Anônimo disse...

Estrela

..."Do Sexo ao Crack, da Luxuria ao Pó, tudo fuga dos desejos íntimos e incertos, tão incertos na 12ª"... Ps.Esse ME está egoísta demais por aí, só pende pro lado dos pedidos centralizados em ti! Beijo

17/10/2007 16:55

San disse...

Adorei esse poema... pensamento ate viajou rs

Bjo