quarta-feira, janeiro 30, 2008

Premissa - No casulo da Fênix

Saiu ele - O Diabo. Aquela mulher de frente para um espelho que não refletia sua imagem me congelou por dentro. Aquela mulher ruiva, seminua, sem reflexo, vampira, diaba.
- Eu, diaba?
- Não, não, não. Não esquenta. É tentação, provação, esses carnavais bíblicos.
- Mas eu fui Diaba?
- Já disse que não.
- Eu fui o Diabo, então? Ou o Diabo está atrás de mim? Eu vou me ferrar, não vou?
- Já disse que não inferno!- riu. É transformação. E radical hein?! Essa imagem que você já não mais vê é essa recente desilusão que você teve. Você já não se via tão refletida e mesmo assim continuava em frente deste espelho negro. Desilusão para uma transformação.
Você deve estar se sentindo como um navio nas brumas, na calmaria dos ventos com dois porões cheios d’água. O mapa para aquele porto eterno é tatuado no teu corpo e você transcende até lá. Como uma dimensão recôndita, paralela. E isso não é para agora. Tire a água dos porões com calma, mas não atraque. Gera confusão tudo isso. Não vai adiantar você atracar, embora não goste dessas águas escuras do presente. Não jogue a ancora em nada ainda. Não é seguro. Não olhe mais o mapa antigo. Neste você já encontrou todos os tesouros que tinha e até se machucou bastante pela aventura. Já abandonou a ilha, os paraísos primitivos. É hora de navegar mesmo no meio da neblina. O Diabo não mente. Quero dizer que sua própria personificação é a mentira, a enganação e isso ele não nega. E você já não se nega mais.
Acharás terra novamente e um outro mapa para além mar e será realmente divino! Voltastes para o seio da Grande Mãe onde ficarás até romper o casulo, minha cara! Confie no Diabo. E ele tudo o fará...

5 comentários:

Silvião Côrtes disse...

Olá, registrando minha passagem pelo meio da pia, entre os restos do café da manhã, o molho do macarrão da noite passada e o pouco que sobrou do prazer do gozo dessa noite. Sentada sobre a pia cheia de louças, com aquelas belas e roliças coxas à mostra, ela faz de mim seu serviçal, e eu, antes de limpar a pia suja, faço dela meu amuleto de prazer!!! Grande abraço!!! http://silviao.cortes.zip.net - novos textos do poeta insano!

éter disse...

Ebaaa casa nova! :)
amei o texto, está com um ar diferente...mais sólido...
mas instigante como sempre!

beijos, minha linda!

Anônimo disse...

SANCHES ...

NEM SEMPRE O DIABO TEM A RAZAO ... MAS, POR VEZES TEM A CONCLUSAO !!!

BJOSS ANJO MENINA.

Rachel Alice disse...

O Diabo era ruivo mesmo,ja vivi com ele alguns dias!!
Ele me fez ver a vida de uma outra forma depois na noite q passamos juntos ,me fez sentir o q e amor de verdade e logo depois o despresso .
Conclusão me fez ver q não podemos nos iludir.
Ja achado ate q vc conversa com os meus diabos,pra saber o q se passa nessa minha mente confusa.
BJS E SE CUIDA

andre disse...

Po gostei muito do texto e do novo blog tmb!!!
Muitos beijos pra vc !!! :) !!!