segunda-feira, agosto 31, 2009

Livre para as manifestções gratuitas de todas as contradições
Livre até o meu limite.
Sou e tenho o que transmito.
Minto, mas não me nego.
Meu ego não é cego.
E meu coração já não manca mais.

Um comentário: