sexta-feira, outubro 23, 2009

A passagem

Para todos os nativos

Escorpião

Lavas renascerão entre teus seios
Assim que o convidado de honra entrar porta a dentro
Te ascenderás e a tua casa invadirá
O teu negro abismo fundo de mangue minguará com o fogo
A luz intensa te cegarás

Tu engolirás o escuro que por detrás há
para cuspir o veneno revelador
O que corroe, O que destrói,
Rapta, descerra
E à ferro marcará a tua testa
Com o que te assolas

Depois que a água se despir do cobertor de chamas
Tu poderás beber o lodo quente da dor
E desmaiar nos braços das sereias de mármore

Da pedra, o amor
Da pedra, o perdão

Do abismo ao mar de gelo
O cristal trincará ao absorver a luz da Vida Sol
Lágrimas de Fênix fecharão tuas feridas
As tuas portas de saída
E renascerás do pó

A rosa de vulcão colerás depois da passagem
E belo, renovado, prepararás as outras casas para o claro.
E será colocado a missão da revelação do oculto
Somente para ti

Ganharás nova vida se agüentares o peso do segredo
O contato com zelo
A certeza da morte por detrás dos olhos...