quinta-feira, fevereiro 21, 2008

5 de Dezembro

Na véspera da tua era – chego. Sei pouco do teu reino. Ensina-me a olhar para cima que esse teu paraíso fica além mar. Convida-me assim mansa que chego desconfiada, mas cheia de alegria e lisonja. Não sei o que acontecerá porque hoje tu és a dona do meu futuro, minha clara vista. Como se estivesse à margem de algum portal de além mundo onde sou merecedora do teu amor. Esse teu reino que tem me feito convites através das nuvens é mapa novo de água cristalina. No teu sussurro ao vento ouvi e vi que as águas escuras meu casco já não navega mais. Como braço de Iara, canto de Ondina ou Iemanjá soberana me guia na superfície.
Sei que é tudo muito branco e cheio de sol. Sei que é calmo claro. Sei que é azul também. Sei que é forte porque sinto. Sei de ti rainha porque pressinto.

Na margem da tua época aguardo permissão para atracar. Ou agora tu – por ser de Olimpo – aguardo permissão para transcender.

3 comentários:

Silvião Côrtes disse...

Transcedental

diana sandes disse...

preciso passar mais por aqui, sempre lindo!
to pensando em fazer minha monografia com o caio fernando... espero que de frutos. to quebrando a cabeça aqui.
inté

Thalita disse...

Olá...só pra vc saber q passei por aki...
E como sempre, seus textos estão ótimos...

Bjs!!!