terça-feira, novembro 25, 2008

Que seja melhor – 2ª Edição.

Afogue-te na tua própria água já que o mesmo fogo que ascende a paixão queima o amor.
Beba as cinzas em um copo de dor e sinta o carbono amolecer a tua pele.
As coisas de alma, doces e serenas, não agüentam com o peso da falsa embalagem. A embalagem que com a tua mão de bisturi cortaste a mentira em finas tiras transformando o que fora dito em carne viva.

A exposição do ator nu que inventou e sustentou o texto até o fim em um espetáculo falido, usando de armas baixas para prender a atenção da única pessoa da platéia, permanece em tua lembrança a cena do assassinato do amor.

Que o teu puro veneno te cures impedindo com que o sangue se misture a tua essência.
Que a floresta queime de lamentações e que os gritos possam ser ouvidos em toda parte.
Teu esconderijo é seguro e te proteges de qualquer patada.
A água, tão amorosamente doada a mais bela das feras, secou depois da destruição da fonte com a explosão do ego.
Só o tempo do renascimento te libertará das marcas que o incêndio te causou. E com este tempo necessário a tua cura, possa pensar em reconstruir ou deixar como está.

- Sê firme. O erro não foi teu.

2 comentários:

San disse...

Forte heim? Mas, muito bem escrito! Gostei!

Bjao

Anônimo disse...

Estranho é pensar que este texto cai como uma luva para mim...Apesar de não saber o que se passa exatamente dentro desta mente fértil e brilhante,é quase certo que peixes está envolvido nestas aguás,que te fez queimar de raiva...
A paixão ardente,o desejo constânte,a vontade louca de estar aos braços e abraços,jamais queimaria o amor...
O amor e a paixão,minha querida,andam de mãos dadas,entrelaçados,como se fossem apenas um...
O espetáculo foi real,o personagem que foi fraco,a ponto de se envenenar com suas próprias mentiras,tentando se proteger,sem saber que ao mudar o texto estaria fazendo sofrer a si mesmo,se afogando em suas próprias ilusões,acreditando em falsas verdades,impedindo assim a própria felicidade...
Você nem imagina,o quão era a vontade do ator(que tb é o autor), ter estrelado um ato de contos de fadas,com final feliz,mas a vida só lhe concedeu um caso com o acaso...
Foi real,tudo, exatamente como foi lhe escrito...
E,eu na minha humilde concepção de vida,continuo acreditando sim,em almas perdidas no meio da multidão,continuo a ver o oásis no meio do deserto,atravez do brilho do olhar daquela menina(com garra de mulher)que eu conheci aquele dia no bar,aquela menina que(infelizmente)vive apenas nos meus sonhos,que nem sequer sabe que eu existo,e que me faz sufocar(de felicidade,acredita?)quando a vejo de longe,ao passar,por 05 segundos...
A paixão não acaba com o amor,o que destrói a falicidade,a vontade,é medo de sofrer...

"Estranho seria se eu não me apaixonasse por você..."Nando Reis