quinta-feira, outubro 08, 2009

Foi-se

"A hora do crime precede a hora da
vingança, e o espetáculo continua.
cada um na sua, silêncio."
Torquato Neto



Do quente doce se fez o precipício
Na lava grossa nasceu o vão
Da transformação surgiu o medo
Aventuras, paixões, dedos
Os meus estavam nas tuas cavernas:
Mas os filhos do dia não suportam o pântano das vísceras

Pobres: andam na ilusão da luz disfarçando suas trevas.
E como réplica, a manhã se fez noite, a palavra foice
E tudo do belo oposto complementar murchou,
O sol despencou
Embalado ao som sombrio das terras que racham.

2 comentários:

Anônimo disse...

Adaíra

Hey, dona moça
foi-se. esse é o argumento para as desilusões da vida. foi-se. embora a gente nunca queira que vá. foi-se. e agora fica a saudade.
adorei.
bj

Fabrício Flávio disse...

Erótico. Perturbado. Cheiro de perfume barato misturado com cigarro, com mofo.
Pornográfico, pântano lúbrico de vísceras, em pleno dia,
dedos explorando cavernas,
da clava grossa, suada, do varão,
do quente doce mel que exsuda o prepúcio: O sol despenca exausto no seio rachado da terra...